28/11/2016

1500 aves marinhas salvas! Obrigado!

A Campanha "Salve uma Ave Marinha" terminou com a
presença no evento Ciência no Mercado


Durante todo o ano, as aves marinhas colidem com mobiliário urbano em consequência da excessiva iluminação pública, mas devido à abundância de cagarras no arquipélago a situação intensifica-se em outubro e novembro, altura em que esta espécie sai dos ninhos. Só este ano contabilizámos 30 cagarras, o que desde 2003 significa que foram salvas 1500 aves marinhas encandeadas por vários voluntários.

A grande aposta da campanha deste ano foi a sensibilização da população para a problemática da poluição luminosa. Nesse sentido, foram vários os contactos recebidos de empresas e individuais que, ao encontrar uma cagarra encandeada, não sabiam o procedimento a tomar. A função da SPEA foi a de informar os procedimentos a tomar, tanto para a segurança da pessoa como da própria ave.

De forma a que o impacto da poluição luminosa nas cagarras fosse minimizado, foram também efetuados vários contactos com câmaras municipais, hóteis, empresas e individuais para que fossem adotadas medidas de redução de iluminação. Foram alguns os aderentes, alguns deles já habituados a colaborar desde o lançamento da campanha.

Durante o período crítico, foi organizado um Patrulhamento de Salvamento através de uma brigada de voluntários que caminhou pela frente-mar do Funchal em busca de aves marinhas encandeadas. A brigada encontrou uma cagarra, tendo sido aproveitada a situação para explicar os procedimentos a tomar naquela situação.

A sensibilização passou também via digital, pela atualização do blog da Campanha e da dinamização da página de Facebook SPEA Madeira, com infográficos e informações sobre os procedimentos a tomar para a recolha de aves marinhas, e constantes alertas para a situação da sobreiluminação dos litorais do arquipélago.

A Exposição "Salve uma Ave Marinha" esteve também patente na sede da SPEA Madeira, com a entrega de kits de recolha de aves marinhas a todas as pessoas visitantes. Foi no evento Ciência no Mercado que finalizámos a campanha deste ano, ao alertarmos para a problemática, ao expôrmos o nosso material de anilhagem e ao informarmos sobre a biologia de cada uma destas aves.

Para finalizar, a SPEA agradece a colaboração de todas as entidades e voluntários na recolha de cagarras durante a campanha. O empenho na minimização deste impacto ambiental deve e tem que continuar. São várias as espécies alvo que caem durante todo o ano, em consequência da sobreiluminação das cidades.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

16/11/2016

Conheça as espécies alvo da nossa campanha

Durante o último mês, a página de Facebook da SPEA Madeira foi dinamizada com várias publicações sobre a Campanha "Salve uma Ave Marinha". Destacam-se vários infográficos que têm vindo a ser realizados.

São o total de oito espécies de aves marinhas que sofrem da problemática da poluição luminosa. No entanto, muitas delas enfrentam muitas outras ameaças, entre as quais a perda de habitat, a competição por locais de nidificação e a predação por animais introduzidos.

Infográfico - Conheça a Cagarra

Pode ficar a conhecer alguns destes factos através dos infográficos disponibilizados. Os Infográficos "Conheça as Aves Marinhas" pretendem dar a conhecer à população em geral a distribuição, habitat, comportamento e estatuto de conservação das espécies alvo desta campanha.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

14/11/2016

Salve uma Ave Marinha na Ciência no Mercado


A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) estará presente no evento Ciência no Mercado, iniciativa levada a cabo pela ARDITI - Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação.

Integrado na Semana da Ciência e Tecnologia, celebrada nacionalmente entre 21 e 27 de novembro, é promovida a Ciência no Mercado no próximo dia 22 de novembro, entre as 18h e as 22h, na Praça do Peixe do Mercado dos Lavradores.

É nesse sentido que a SPEA Madeira estará presente com as aves marinhas e a problemática da poluição luminosa, para dar a conhecer a Campanha "Salve uma Ave Marinha" para o público em geral. Apareça, interaja connosco e tire as suas dúvidas!

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

Cagarras são salvas na costa norte

À semelhança do que foi noticiado sobre iniciativas realizadas no Funchal e no Paul do Mar, também a costa norte da Madeira se assume amiga das aves marinhas e têm sido várias as entidades e populares que têm feito a recolha de aves marinhas.

Em São Vicente, o município prontificou-se a diminuir a poluição luminosa neste período crítico para as cagarras. Desta forma, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) identificou pontos sobreiluminados, principalmente na frente-mar e centro da vila, para que se procedesse à redução da iluminação pública.

A recolha de aves marinhas é importante, mas prevenir o encandeamento e colisão das mesmas é crucial. Por irem à raiz do problema, as medidas que o Município de São Vicente pôs em prática são importantes para a conservação destas aves. Deste modo, as práticas compatíveis com a biologia das aves marinhas devem ser prioritárias para entidades e população em geral.

Centro de Ciência Viva do Porto Moniz

Por outro lado, no concelho do Porto Moniz, o Centro de Ciência Viva tem sido ativo na recolha e libertação de aves marinhas, principalmente por iniciativa de Liliana Sousa. O nosso formulário recebeu vários registos de cagarras recolhidas na zona do edifício do Centro de Ciência Viva e do Posto de Turismo do Porto Moniz, que ao anoitecer foram libertadas junto ao mar.

Ainda dentro do mesmo concelho, na freguesia do Seixal, temos o Clube Naval do Seixal que também tem sido exemplar na recolha de cagarras. Foram já várias as cagarras encandeadas que sofreram quedas junto à zona do Clube Naval. O procedimento foi o de recolha e libertação destas aves.

Zona onde se localiza o Clube Naval do Seixal

Neste período específico, em que as cagarras juvenis saem dos seus ninhos entre outubro e novembro, é importante que a atenção se redobre sobre esta espécie que, na Madeira, é das mais abundantes aves marinhas. No entanto, durante todo o ano, várias outras espécies de aves marinhas sofrem com a poluição luminosa: ficam encandeadas, colidem com edifícios e outro tipo de mobiliário urbano e caem no chão, desnorteadas.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

10/11/2016

Tome a iniciativa: recolha e liberte aves encandeadas

Ao encontrar uma ave marinha encandeada proceda à sua recolha e libertação. Se a ave apresentar ferimentos visíveis deve contactar o Instituto de Florestas e Conservação da Natureza. Foram várias as pessoas, grupos e demais entidades que encontraram aves caídas e, por sua própria iniciativa, devolveram-nas à natureza. A todas elas agradecemos!

Exemplo disso foi a Brigada de patrulhamento para a recolha de aves marinhas realizada na frente-mar do Funchal. A iniciativa levada a cabo pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), organizadora da Campanha "Salve uma Ave Marinha", juntou 13 pessoas que recolheram uma cagarra encandeada junto do Teleférico do Funchal na sexta-feira à noite, dia 28 de outubro.

No fim de semana que se seguiu, as cagarras enfrentaram as noites de lua nova. Estas noites potenciaram a poluição luminosa e fez com que os registos de cagarras encandeadas tivesse aumentado exponencialmente. Por isso mesmo, na segunda-feira dia 31, elementos da equipa da SPEA Madeira voluntariaram-se para libertar quatro cagarras que foram encandeadas pela poluição luminosa.


O Bairon, o Emanuel, a Gisela, a Marta e a Nadine ajudaram no registo de algumas biometrias às aves e, logo depois, libertaram as aves numa praia pouco iluminada do concelho do Funchal.

Já noutro concelho, na Calheta, Paul Abbiati promoveu o salvamento de várias cagarras junto da população da freguesia do Paul do Mar. Com as noites de lua nova, foram salvas cinco cagarras com uma brigada organizada pelo próprio.

Paul Abbiati e uma brigada de salvamento de cagarras
formada por crianças e jovens do Paul do Mar

O Paul disse-nos mesmo que a população da localidade recolhia as aves dos terraços e quintais das suas casas e, por sua própria iniciativa, iam junto ao mar libertá-las. Noutras vezes, o Paul encontra-se com as pessoas e informa-as sobre a problemática. A situação torna-se por vezes grave por causa de cães e gatos abandonados que podiam tornar-se predadores das cagarras encandeadas.

Tomar iniciativas como estas é importante não só para a sensibilização da população para a problemática da poluição luminosa, como também para o salvamento das aves marinhas. Envolver as comunidades na conservação da natureza e sua fauna e flora permite que se incuta um desenvolvimento sustentável, através de uma harmonia entre a presença humana e a presença animal.

Pela sua abundância na arquipélago da Madeira, as cagarras são as aves marinhas que mais frequentemente são encandeadas e sofrem colisões e quedas em consequência da iluminação pública, principalmente entre outubro e novembro, altura em que os juvenis saem dos ninhos. No entanto, tantas outras espécies de aves marinhas sofrem do mesmo problema durante todo o ano.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

31/10/2016

Próximos dias ainda requerem atenção

As cagarras, principalmente as juvenis que saem dos seus ninhos nesta altura, atravessaram um fim de semana crítico causado pela lua nova. As noites, mais claras, potenciam a luz da iluminação pública das cidades e as cagarras são mais facilmente encandeadas.

Biometrias realizadas durante uma Brigada de Patrulhamento

Foram vários os registos durante os últimos dias, desde a cidade do Funchal, passando pela Ponta Delgada e até ao Porto Santo, levando a algumas deslocações por parte das nossas brigadas. O procedimento foi o habitual: recolha, registo de dados da ave e posterior libertação, este último passo sempre realizado junto do mar numa área distante de focos luminosos.

Apesar das noites de lua nova já terem passado, as cagarras ainda estão suscetíveis a encandeamentos nos próximos dias. Por isso é importante que mantenha o alerta e, para o caso de ter que salvar uma ave marinha, siga os 4 passos divulgados e informe-nos através do preenchimento de formulário.

Brigada de Patrulhamento promovida pela SPEA Madeira,
iniciada junto de um grande foco de luz na zona da Praia de São Tiago

Pode promover o salvamento das cagarras ao organizar junto dos seus amigos ou família uma brigada de patrulhamento, à semelhança do que foi dinamizado pela SPEA Madeira na passada sexta-feira. Foram o total de 13 pessoas que se juntaram à nossa brigada, que ao patrulhar a frente-mar do Funchal recolheu uma cagarra encandeada que caiu numa via de trânsito. Agradecemos a presença das pessoas interessadas na atividade. Pode ver fotos do patrulhamento na nossa página de Facebook.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

26/10/2016

Alerta laranja para as cagarras

Período crítico assinala-se este fim de semana, pelo que se pede especial atenção
A lua nova começa a formar-se a partir da noite de hoje, pelo que as noites ficam mais escuras e a poluição luminosa mais saliente. É por essa razão que as cagarras enfrentam o período laranja, por se sentirem mais atraídas pela iluminação pública e, consequentemente, mais colisões e quedas. Além disso, é uma ave naturalmente sensível à luz, daí ser a prioridade da Campanha "Salve uma Ave Marinha".

Ao encontrar uma cagarra no chão, aparentemente ferida, siga os seguintes passos para a sua recolha e libertação:

Clique para ampliar

De seguida, informe-nos da ocorrência através do Formulário Salvei uma Ave Marinha - um conjunto de questões que nos permite recolher dados mais precisos sobre o encandeamento de aves marinhas.

De salientar que a noite de sexta-feira será assinalada com uma atividade da SPEA Madeira no âmbito da campanha, que promove o patrulhamento da frente-mar do funchal através de uma brigada, a partir das 20:30h. Mais informações aqui.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195, do e-mail madeira@spea.pt ou do Formulário Salvei uma Ave Marinha.

25/10/2016

Vamos patrulhar a frente-mar do Funchal na próxima sexta

Juntos salvamos as aves marinhas!
A SPEA Madeira organiza, para o próximo dia 28 de outubro, um patrulhamento entre a Praia de São Tiago e a Pontinha para a deteção e recolha de aves marinhas encandeadas pela poluição luminosa. A iniciativa está aberta para a população em geral, com ponto de encontro marcado para as 20:30h, na sede da SPEA Madeira. Saiba mais sobre a iniciativa aqui.

Com a aproximação dos dias prioritários, é essencial que se mantenha atenção redobrada para a identificação das aves encandeadas. Siga os procedimentos indicados e comunique-nos a recolha.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195 ou e-mail madeira@spea.pt.

24/10/2016

Sede da SPEA Madeira acolhe exposição da campanha

A exposição da campanha estará este ano patente na sede da SPEA Madeira, até 17 de novembro. Dividida em cinco áreas distintas, pode iniciar a exposição ao conhecer o material usado para a anilhagem das aves recolhidas. De seguida, pode ficar a conhecer as espécies alvo, e mais duas áreas dedicadas às brigadas de patrulhamento e à iluminação pública.


Ver SPEA - Madeira num mapa maior


Pode terminar a exposição ao visitar a nossa loja e usufruir de 10% de desconto nas t-shirts SOS Freira-do-bugio e Patagarro e estará a contribuir para a conservação das aves e dos seus habitats. Além disso, ao visitar a nossa exposição, recebe ainda o nosso Kit de Voluntário que inclui material se sensibilização da campanha e uma caixa para recolha de aves marinhas. Saiba mais sobre a exposição no nosso evento de Facebook.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195 ou e-mail madeira@spea.pt.

20/10/2016

Educação Ambiental é ferramenta para sensibilizar sobre a poluição luminosa

A mudança de paradigmas e mentalidades em relação à conservação das aves e dos seus habitats deve ter em conta a educação ambiental, seja em ambiente escolar ou associativo. Desta forma, a SPEA Madeira disponibiliza-se a ir à sua escola, casa do povo ou associação realizar atividades de educação ambiental.


Pode consultar o Programa de Educação Ambiental "Salve uma Ave Marinha" para atividades relacionadas com a poluição luminosa e as aves marinhas. Se tiver interesse em outro tipo de atividades, consulte o Programa de Educação Ambiental SPEA Madeira.

Ajude-nos a salvar as nossas aves marinhas e colabore na sua conservação. Para o esclarecimento de qualquer dúvida ou sempre que encontre um animal, contacte-nos através do nosso telefone 967 232 195 ou e-mail madeira@spea.pt.